terça-feira, 19 de junho de 2012

MS: Projeto Padrinho completa 12 anos de sucesso


Na próxima terça-feira (26), um dos projetos de maior sucesso do Poder Judiciário de MS completa 12 anos de existência: o Projeto Padrinho. Criado em Campo Grande, em junho de 2000, a proposta tornou-se referência nacional e atende hoje mais de 200 crianças e adolescentes.

Para poder ampliar a área atuação, o projeto está ligado à Coordenadoria da Infância e da Juventude e, em consequência da amplitude, já foi implantado nas comarcas de Dourados, Amambai, Aquidauana, Corumbá, Rio Brilhante, Maracaju, Três Lagoas, Bataiporã, Nova Andradina, Sonora, Jardim e Bonito.

O sucesso do trabalho realizado no Projeto Padrinho é tão grande que as comarcas de Naviraí, Camapuã, Ribas do Rio Pardo, Brasilândia, Bandeirantes, Sidrolândia e Paranaíba já solicitaram a implantação da proposta.

Desde o início na equipe do Projeto Padrinho, a psicóloga Rosa Pires Aquino lembra que 80% das crianças em situação de acolhimento são atendidas. "Isso porque não temos somente padrinhos afetivos, mas voluntário e prestador de serviços. Temos hoje 16 abrigos, com 202 crianças e adolescentes", disse ela.

Para quem não conhece o trabalho realizado pela equipe do Projeto Padrinho, necessário ressaltar que existem diferentes opções de apadrinhamento:
- padrinho afetivo: proporciona atenção e carinho à criança abrigada;
- padrinho voluntário: faz algum tipo de trabalho esporádico nas entidades de acolhimento;
- prestador de serviço: aquele que atende os abrigos de acordo com sua especialidade profissional, de maneira gratuita ou com ajuda material.


Resgate - Nos últimos dias, os profissionais do projeto Padrinho estão tentando resgatar um jovem de 16 anos que passa o dia fazendo malabarismo nos sinais, nas ruas de Campo Grande.

"Conversamos com o rapaz e ele já disse que deseja sair das ruas. Esta semana, fizemos a aproximação dele com uma madrinha e daremos andamento às providências necessárias para que ele deixe de usar drogas. A madrinha vai atuar para fortalecer a família do menino, visando tirá-lo da situação em que se encontra. A intenção é prepará-lo para o mercado de trabalho, é proporcionar a ele condições dignas de vida", contou Rosa.

E mais: a equipe que atua no Projeto Padrinho em Campo Grande, além de implantar a proposta nas comarcas, atua também como consultora, em uma espécie de assessoria para os profissionais que atuam nas comarcas do interior.

O trabalho não para. Em maio, o prefeito Nelson Trad Filho, o procurador do Município Ernesto Borges, a secretária Municipal de Assistência Social Nilva Santos estiveram no gabinete do Des. Joenildo de Sousa Chaves, Coordenador da Infância e Juventude de MS, para acertar os detalhes de regulamentação da Lei nº 4.586/08 que dispõe sobre Família Acolhedora.

O programa Família Acolhedora existe há 12 anos como uma das modalidades de apadrinhamento, porém, a coordenadoria visa implantar a proposta com subsídio, nos moldes da lei nº 12.010/09 (nova Lei de Adoção), que prevê como forma preferencial o abrigamento. Além disso, nos artigos19 e 34 do ECA há a previsão de programa de Família Acolhedora em vez de abrigamento institucional.

"Apesar de vigente desde 2008, a lei que dispõe sobre família acolhedora necessita de regulamentação para ser efetivamente aplicada e esta é uma das metas da Coordenadoria para 2012, diante da necessidade de se encontrar local para crianças e adolescentes abrigadas, em razão da falta de vagas nos abrigos da Capital.

Estamos também preparando uma audiência pública na Assembleia Legislativa para discutir a implantação da república juvenil, enfim, há muito trabalho a fazer, mas não se pode deixar de comemorar os 12 anos de existência de um dos melhores projeto do Poder Judiciário de MS, principalmente porque o Plano Nacional de Convivência Familiar e Comunitária, previsto na nova Lei da Adoção, enfatiza o trabalho que o
Projeto Padrinho vem fazendo, que é oportunizar a convivência", concluiu a psicóloga.
Autor: Secretaria de Comunicação Social - imprensa

Nenhum comentário:

Postar um comentário